Buscar
  • Equipa CascaisVet

Mycoplasma - Hemoparasita comum nos Gatos



É muito comum a entrada em clinica de gatos doentes com uma patologia mas devido ao sistema imunodeprimido, surge secundariamente, uma infecção causada por um parasita do sangue que causa graves anemias e quando não detectada a tempo, poderá levar a morte do animal.


A manifestação do parasita, no entanto, também poderá surgir como doença primária.

A micoplasmose felina, também conhecida como anemia infecciosa felina, é causada por uma rickettsia (bactéria), Mycoplasma haemofelis, anteriormente conhecida como Haemobartonella felis.


O Mycoplasma é um parasita microscópico que invade as células vermelhas do sangue, causando a sua destruição. Nem sempre o felino desenvolve a doença, e nestes casos, o mesmo passa a ser portador assintomático.

Gatos portadores, cronicamente infectados, possuem aspecto clínico normal, mas podem apresentar leve anemia.


A anemia normalmente é regenerativa pois não existem danos ao nível da medula óssea. Em muitos casos, a micoplasmose é detectada após algum stress.


O micoplasma felino pode ser transmitido por artrópodes hematófagos (carraças e pulgas). Por esse motivo, o controlo de pulgas ser tão fundamental na protecção do seu gato.


Felizmente, existem inúmeros produtos seguros e eficazes disponíveis no mercado para evitar a infestação de pulgas. Peça ajuda ao seu vet assistente, sobre qual é o produto mais indicado para o seu gato.


A via transplacentária e a via iatrogénica também são algumas formas de transmissão. No entanto, a última é praticamente impossível devido à elevada incidência de exames rotineiros em gatos doadores de sangue. As mordidas poderão também ser uma forma de transmissão, se bem que é ainda uma via não confirmada.


As pulgas das espécies Ctenocephalides felis, Ctenocephalides canis e Pulex irritans parecem ser os principais vectores


Primavera e Verão são épocas do ano de risco, se bem que, actualmente, a precaução redobrada deva permanecer todo o ano devido às alterações climáticas manifestadas nos últimos anos. Gatos não castrados, gatos de rua são gatos sujeitos a apanhar mais pulgas e estarem envolvidos em brigas e mordeduras.


Os gatos que conseguem recuperar sem tratamento, na fase aguda, poderão sofrer episódios recidivos e permanecerem cronicamente parasitados durante meses a anos, senão por toda a sua vida.


Os sinais mais comummente observados em gatos doentes incluem

- anorexia,

- desidratação,

- letargia,

- perda de peso,

- mucosas pálidas,

- dores articulares,

- aumentos de temperatura corporal (pirexia) intermitentes

- esplenomegália (aumento do baço) podem ocorrer em estados mais agudos da doença.

- icterícia (em alguns casos)



Alguns testes complementares de diagnóstico em comunhão com os sinais clínicos apresentados em consulta ou durante a fase de internamento podem ajudar a detectar a existência de mais algo do que o primeiro motivo de comparência ao hospital, nomeadamente o hemograma (mede a quantidade de células vermelhas e brancas no sangue). Alguns achados: trombocitopénia (queda do nº de plaquetas, o que conduz à existência de hemorragias), alterações das células brancas (diminuição de leucócitos, neutrófilos, aumento de linfócitos e monócitos).

A Técnica de PCR é a técnica mais fiável para detectar a existência deste parasita. Possui alta sensibilidade e especificidade, sendo capaz de amplificar o DNA do microrganismo em milhões de vezes, se o mesmo estiver presente na amostra sanguínea. É o método ideal para casos de baixa parasitemia que frequentemente não são detectáveis por meio de análise de esfregaços sanguíneos.

Existe uma alta incidência de heamobartonella em gatos portadores de Leucemia (FELV). Mas a doença poderá ocorrer separadamente. De qualquer forma, quando ocorre uma anemia severa que não responde ao tratamento de Haemobartonellose, o teste de leucemia felina não deve ser descartado.

Número de glóbulos vermelhos parasitados por Mycoplasma haemofelis. Os pontos pequenos no interior das células vermelhas são micraorganismos fixados à superfície externa das células vermelhas.


Se o seu gato apresenta pulgas, se o acha mais murchinho, com menos apetite, peça ao seu médico veterinário para o testar contra este parasita dos tempos actuais.

Evite que o seu animal tenha que ser submetido a transfusões sanguíneas de urgência!



0 visualização0 comentário